sexta-feira, 30 de julho de 2010

quinta-feira, 29 de julho de 2010

dA #1

Numa das minhas passeatas pelo dA dei por mim a desejar isto:


Steampunk Jewelry set Onyx by *CatherinetteRings on deviantART

Agora peçam vocês o vosso desejo e partilhem o segredo comigo (eu adoro segredos!).


Your secret from Jean-Sebastien Monzani on Vimeo.

Coisas boas


The Weight by ~GrayscaleArt on deviantART

Às vezes a vida traz-nos pequenas surpresas, mas que sabem tão bem... Hoje fui à balança e vi menos dois quilos, assim sem mais nem menos. :D

Mel #2


Há 5 semanas que a Mel vive comigo, já cresceu e mudou de personalidade: agora em vez de mimos prefere a brincadeira. Continua incansável! (Ao menos brinca com tudo, até com o que não deve.)

Continua uma fofa e a merecer o nome que lhe pusemos, só mia quando quer comida ou atenção. As fotos continuam desfocadas porque não consigo que ela fique quieta. :)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Business Cards

O Card Observer é um site com cartões de visita criativos, diferentes e originais. Ideal para nos inspirarmos e criarmos a nossa própria identificação.

Um dia também terei que criar o meu cartão de visita (para já estou centrada num portfólio e CV à minha medida), mas agora queria era partilhar um desses business cards que particularmente me chamou a atenção por ser feito de madeira. As palavras do autor, Sam Gough, dizem tudo:
The tactile feel of the rough face, smooth edges and laser etched details all provide a unique experience for any lucky recipient!
Vejam do que estou a falar:

Wooden Business Card

Bonito, não?

Europacolon



A Europacolon é uma associação sem fins lucrativos que luta contra o cancro do colo-rectal (intestino). A instituição pretende informar, prevenir e apoiar os (possíveis) doentes e seus familiares. Para além disso disponibiliza consultas de psicologia e nutrição gratuitas.

O cancro do intestino mata 10 pessoas por dia e pode ser evitado através de uma alimentação saudável e exercício físico, há que ter em atenção o historial da família e consultar o seu médico se algum familiar já contraiu a doença. A idade de risco situa-se a partir dos 45 anos.

Este são alguns dos sintomas:

- Alteração persistente dos hábitos intestinais, com o aparecimento de prisão de ventre ou diarreia (ou uma alternância das duas), sem razão aparente e/ou fezes muito escuras.

- Perda de sangue pelo recto/ânus ou misturado nas fezes sem irritação, dor ou prurido.

- Sensação de que o intestino não esvazia completamente.

- Dor forte ou desconforto abdominal, sem explicação aparente.

- Cansaço sem razão aparente.

Nota: é de notar que a maior parte dos sintomas acabam por não ser cancro-rectal, é muito importante consultar o seu médico.

(informação retirada da página da Europacolon)

Para mais informações:

Linha de Apoio: 808 200 199
Telefone: 225 400 441
Fax: 225 400 442
E-mail: geral@europacolon.pt
Website: www.europacolon.pt

terça-feira, 27 de julho de 2010

Boas Notícias

A primeira é... estou de férias! (fogo enganei-me essa era a segunda...)

Recomeçando:

A defesa do meu projecto de graduação foi hoje. A nota foi boa. E estou de férias (mas isso vocês já sabiam).

O tema foi a cor no anúncio de imprensa realizado para a Europacolon. Amanhã falo um pouco mais sobre esta associação que luta contra o cancro do intestino. O título que lhe dei foi, mais uma vez, Sinestesia. E quero continuar a escrever sobre este tema, do qual existe tão pouca informação (só podia escrever umas 15 páginas, eu precisava de bem mais para dizer tudo o que queria). Quem sabe não sairá daqui um livro?

Para verem o meu orgulho, cliquem na imagem.

domingo, 25 de julho de 2010

Lição #1

Be like the Bamboo. @Presentation Zen

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Bom Ouvido #1



Porque este é o momento perfeito para ouvir isto...

Cosméticos: uma forma de ficar bonita....ou doente?



Este é mais um dos pertinentes vídeos do Story of Stuff que nos pretende elucidar sobre os nossos comportamentos de consumo. Para mim o Story of Cosmetics foi o mais assustador de todos, principalmente porque uso diariamente produtos da Procter&Gamble. Aqui poderão ver todas as marcas que esta empresa comercializa.

Comecem já a mudar os vossos hábitos e consultem o Safe Cosmetics para saberem quais os produtos "amigos do ambiente" e, por consequência, também do vosso corpinho.

Bagagens #1

 E começou uma nova rubrica, esta relativa às minhas leituras mais recentes e cujo conteúdo considero digno de partilha (pode incluir imagens, músicas ou vídeos, que esses também se lêem):

x A crónica sobre a contemporaneidade da fotografia, no Clicio. 
x O cartoon no Cartolina, sobre o livro e o hipertexto.
x 50 pessoas. 1 pergunta. (E tu, o que responderias?)+  
x Bon Iver - Blindsided.  
x Each Minute Draws Possibilities of Parallel Futures, de Ana Carvalho+ e Marc Behrens.

Espero que gostem da nova organização do blog. Comentem. :)

+ No fim do dia, o que desejo é ter um sorriso no rosto.  
+ Tive o prazer de a ter como professora de Comunicação Gráfica.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Pé de fora #1

Medina durante o dia.

Como uma imagem vale mais do que mil palavras e eu estou preguiçosa, em vez de vos contar sobre a minha visita a Marrocos (foi uma semana por isso nunca conseguiria dizer tudo), mostro-vos um vídeo da Speaky TV realizado apenas umas semanas depois de eu ter lá estado.

Desculpem eu queria pôr aqui o vídeo mas o código envia para o documentário anterior, cliquem no link da Speaky TV e no menu escolham "Raquel Estrada Fora" de 21/07/2010.

Agora que já visualizaram o mini-documentário acrescentarei algumas das minhas experiências: a Medina é mesmo um labirinto e os guias sabem-no muito bem. Estão sempre a perguntar se queremos informações, alguns levam-nos à força e nunca se vão embora sem levar gorjeta (e ainda regateiam!).

Os tapetes, feitos pelas mulheres, passam de geração em geração, cada elemento tem um significado, são à prova de fogo e de animais e dos tapetes mais belos que vi em toda a minha vida. Alguns demoram 8 meses a serem criados, já que todos os desenhos são feitos em teares manuais e não bordados por cima.

A praça, durante a noite, é muito movimentada, está recheada de todo o tipo de espectáculos, por vezes temos de nos desviar das motos que por lá passeiam e dos comerciantes que chamam incessantemente por nós. No meio de toda aquela agitação sabe mesmo bem parar e beber um sumo de laranja fresquinho (o que lá há mais são laranjas e azeitonas).

A gastronomia é deliciosa e a troco de apenas alguns dihrams, o álcool é proibido e as especiarias, dispostas em pirâmide, exalam um cheiro apetecível.

Durante a tarde as ruas estão mais desertas devido às grandes temperaturas, os marroquinos trabalham das 9h30 às 16h00. Ganha-se mais num hotel do que como designer, porém melhor mesmo é ser taxista. Ao cair da noite ouvem-se umas sirenes a indicar a hora de oração (desculpem-me a assonância).

Pena este mini-documentário mostrar tão pouco, Marrakech é muito mais do que aquilo que foi dito. A rubrica Pé de fora ainda há-de voltar com mais perfumes de Marrocos.

terça-feira, 20 de julho de 2010

segunda-feira, 19 de julho de 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

quinta-feira, 8 de julho de 2010

hard>simple

(via frkncngz)

Estupidez consumista

«Estamos a tornar-nos mais estúpidos porque vivemos numa sociedade na qual temos de ser consumidores para que essa sociedade sobreviva. E para ser consumidor, é preciso ser estúpido, porque uma pessoa inteligente nunca gastaria 300 euros num par de calças de ganga rasgadas. É preciso ser mesmo estúpido para isso. Essa educação da estupidez faz-se desde muito cedo, desde o jardim de infância. É preciso um esforço muito grande para diluir a inteligência das crianças, mas estamos a fazê-lo muito bem. Estamos a conseguir destruir aos poucos os sistemas educativos, éticos e morais, o valor do acto intelectual.»

«A escola não tem culpa, é a nossa sociedade que é culpada. A escola, a universidade, deveriam ser o lugar onde a imaginação tem campo livre, onde se aprende a pensar, a reflectir, sem qualquer meta. Mas isso é algo que estamos a eliminar em todo o mundo. Estamos a transformar os centros de ensino em centros de treino. Estamos a criar escravos. Somos a primeira sociedade que entrega os seus filhos à escravidão, sem qualquer sentimento de culpa. Nesses centros de aprendizagem, estamos a criar seres humanos que não confiam nas suas próprias capacidades e que começam a acreditar que o seu único objectivo na vida é arranjar trabalho para conseguir sobreviver até chegar à reforma – que também já lhes estão a tirar. O que estamos a fazer é horrível. Não tem nada a ver com os valores da Internet, com a competência do professor, faz tudo parte de um conjunto. Somos culpados enquanto sociedade.»

Alberto Manguel - escritor
(copiado daqui

A cadeira de publicidade é uma das minhas preferidas do meu curso, e isto porque posso dar largas à minha imaginação. Não há muitas outras onde isso seja possível, infelizmente. Percebo que tudo tenha as suas regras e limites, que a teoria e a cultura são importantes. Contudo fico muitas vezes a pensar que os livros posso lê-los em casa, com mais calma e com as devidas reflexões feitas. Sou da opinião de que nas aulas deveria haver mais debates.

Ultimamente, tempo é o que mais me falta entre os trabalhos, as leituras e o estudo (apesar de já estar de 'férias'). Admito que reflexão tem havido muito pouca e é pena. Sei que amanhã esquecerei metade do que aprendi hoje...

sábado, 3 de julho de 2010

Marrakech - um saborzinho


Salam!

Hoje é o meu último dia em terras marroquinas. Adorei a experiência e espero cá voltar. Nos próximos dias vou falar-vos do que aprendi com esta gente tão simpática.

Hoje fiz uma tatuagem (que é linda), para levar de recordação - entre outros souvenirs. É, treinei o meu francês. As "gazelas" marroquinas (les gazelles, como eles chamam às meninas) fazem tatuagens para casamentos, festas ou para dar boa sorte.

Parecem ser complicadas de fazer, mas não fiquem iludidos. Os traços são bastante simples, mesmo assim é necessária uma mão firme. Após uns 15 a 30 minutos raspa-se a tatuagem com água, para tirar a tinta e ficar apenas aquela que se impregnou na pele. Não ficou muito caro, mas teve que se regatear bastante (aqui tudo o que se compra é assim). Esta tatuagem tem a duração de 15 dias, algumas (as de cor castanha, mais baratas) duram apenas uma semana.

De Marrakech gostava de trazer candeeiros, tapetes, especiarias, espelhos e muita coisa mais. No entanto venho bem recheada de memórias (conversas, cheiros e sabores - aqui come-se bem!), de uma bolsa e sandálias e também de uma coberta para o meu quarto. Depois mostro as fotos.

Do que menos gostei foi da constante perseguição de comerciantes e de guias (não se pode pedir uma informação sem que a tenhamos que pagar), do trânsito caótico (até nas ruas mais pequenas eles andam e não param na passadeira, um verdadeiro perigo!). Mas depois eu conto mais e de forma pormenorizada.

O saldo? É positivo! :)

Vêmo-nos em terras lusitanas!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails