terça-feira, 26 de maio de 2009


imagem retirada do site da autora

Depois de ler o blogue da wiccaa, também me deu vontade:

Joanne Harris é uma das minhas escritoras preferidas. Há 7/8 anos atrás a minha tia emprestou o Vinho Mágico à minha mãe, o título era convidativo, a capa também (edição ASA): comecei a lê-lo ainda antes de ela pegar nele.

No início custou-me, achei interessante a ideia de ser um vinho a falar, porém o monólogo pareceu-me aborrecido. Umas páginas mais à frente a autora surpreendeu-me, envolvi-me na história, nos cheiros e nos sabores e nunca mais de lá quis sair.

Li também, por esta ordem, o Cinco Quartos de Laranja, outro doce; Na Corda Bamba, o meu preferido, percorrido ao som de Luca Turilli e que foi uma das melhores experiências que eu já tive em questões de leitura; A Praia Roubada, o que menos gostei de Joanne e Chocolate, já tinha visto o filme, mas como não me lembrava da história acabei por rever os dois. O Chocolate li através do BookCrossing, aqui, os restantes foram igualmente emprestados pela minha tia.

Já há muito tempo que não leio nada dela, mas um dia. Garanto. Hei-de ter a colecção toda. Se tiverem algum livro dela que eu não tenha lido e me quiserem emprestar, não hesitem: venham aqui (eu posso emprestar outro em troca, basta irem à minha bookshelf e pedirem).

Dica: a ASA tem uma sala de leitura onde se pode ler excertos de livros, os de Joanne também estão lá. Têm é de se registar.

Para finalizar aqui fica um pequeno excerto do Vinho Mágico, não encontrei nenhum do meu favorito:

O vinho fala. Toda a gente sabe isso. Olhemos à nossa volta. Perguntemos ao oráculo na esquina da rua; ao conviva não convidado num banquete de casamento; ao tolo ingénuo. O vinho fala. Ventriloquiza. Tem um milhão de vozes. Solta a língua, arranca-nos segredos que nunca tencionávamos contar, segredos que nem sequer conhecíamos. O vinho berra, disparata,sussurra. Fala de coisas grandiosas, planos esplêndidos, amores trágicos e terríveis traições. Ri às gargalhadas. Ri suavemente entredentes. Chora perante o seu próprio reflexo. Abre o caminho a Verões de há muito tempo e a memórias que melhor seria esquecer. Cada garrafa um sopro de outros tempos, outros lugares; e cada uma, desde a mais comum Liebfraumilch até à imperiosa Veuve Clicquot de 1945, um humilde milagre. Magia do dia-a-dia, chamou-lhe Joe. A transformação de matéria simples no ingrediente dos sonhos. A alquimia do leigo.”

(...)

“As garrafas vazias contavam uma história diferente. Jay dizia a si mesmo
que bebia pela mesma razão por que escrevia ficção científica de segunda
categoria. Não para esquecer, mas para recordar, para reacender o passado e
encontrar-se aí de novo, como o caroço num fruto amargo. Ao abrir cada
garrafa, ao começar cada história, era com a secreta convicção de que residia
ali a poção mágica que o ressuscitaria. Mas a magia, tal como o vinho, precisa
das condições favoráveis para funcionar. Joe ter-lhe-ia dito isto mesmo. Senão
a química não acontece. O perfume estraga-se.


Boas leituras!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

terça-feira, 19 de maio de 2009

Children Full of Life 5|5

Todos merecem uma escola assim. E talvez o mundo fosse melhor. Está na altura de aprender e mudar.

Children Full of Life 4|5

Children Full of Life 3|5

Children Full of Life 2|5

Children Full of Life 1|5

Um documentário excelente, inspirador, cheio de emoções e ensinamentos. Cinquenta minutos de significado e esperança.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Autumn Story

Mais um daqueles video-clips inspiradores. :)

Firekites - AUTUMN STORY - chalk animation from Lucinda Schreiber on Vimeo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails